10 Melhores conselhos para ultrapassar um Trauma - Alerta! Saúde

Medicina

Publicidade

Intervenção Social
21/12/2014

10 Melhores conselhos para ultrapassar um trauma

trauma
Entrevistada: Psicóloga clínica Lissa Figueiredo
Imagem: DR

Quando sofremos um trauma, a nossa vida, a nossa realidade, e até mesmo o nosso ponto de vista, se altera. Essa mudança e os sentimentos menos positivos decorrentes do episódio traumático podem representar uma grande perturbação para a vida quotidiana e sobretudo para a nossa felicidade.

A psicóloga clínica Lissa Figueiredo deixa-lhe os seus melhores conselhos para conseguir ultrapassar uma situação traumática!

 

  1. Reconheceça o impacto que a situação tem no seu quotidiano. Por vezes queremos tanto esquecer o sucedido que deixamos de (ou não queremos) perceber que toda a nossa vida mudou. É importante parar para pensar o que está diferente e as mudanças que ocorreram ao nosso redor para agir em conformidade e recuperar o que se perdeu.
  2. Evite a autovitimização. Perceber que não controlamos os acontecimentos mas podemos controlar  o impacto que os acontecimentos têm em nós. A fixação em diálogos internos do tipo “Isso é injusto” ou “Não poderia ter acontecido comigo” dificulta a recuperação e favorece a continuidade da dor.
  3. Não fuja da situação. Por vezes quando sofremos um trauma tentamos evitar todas as situações, locais, pessoais, etc, que possam funcionar como pistas do trauma sofrido. É importante perceber que o evitamento diminui o mal-estar inicialmente mas não resolve o problema. Uma forma de diminuir a sintomatologia e expôr-se gradualmente às pistas que evita. (Este processo poderá requerer apoio especializado).
  4. Dê uma especial atenção ao sono e à alimentação. Não negligencie as suas refeições, mesmo que sinta uma diminuição do apetite. Também procure ter bons hábitos de sono, já que alterações a este nível poderão exacerbar os sintomas associados ao trauma como os sintomas de ansiedade e depressão.
  5. Faça exercício físico. Nada melhor que o exercício físico para cansar o corpo e a mente e permitir uma abstração da situação traumática, não esquecendo que poderá trazer melhorias na redução da ansiedade, no sono e claro é uma oportunidade de socialização.trauma
  6. Procure apoio imediato, junto de amigos e familiares. Rodear-se de pessoas importantes para si e que lhe confiram segurança e bem-estar pode ajudar a diminuir a sintomatologia. Dependendo do trauma sofrido, por vezes a confiança nos outros fica comprometida e como tal é importante perceber que quem gostava de si antes continua a gostar de si agora.
  7. Socialize e envolva-se em atividades que lhe proporcionem prazer. Por vezes um trauma faz com que limitemos as nossas atividades, deixando para trás atividades voluntárias (convívios e atividades sociais), levando ao isolamento da pessoa. É importante perceber que quantas menos atividades fizermos menos teremos vontade de fazer. Contrarie o isolamento!
  8. Perceba quando a prescrição de medicamentos é indispensável. Há muitas pessoas relutantes a fazer terapêutica como ansiolíticos e antidepressivos, contudo em situações limite e numa primeira fase, esta abordagem poderá ser indispensável para a minimização dos sintomas. Como tal é importante que procure o seu médico de família, ele saberá como ajudar!
  9. Procure ajuda especializada. Por iniciativa própria ou por recomendação do seu médico de família a ajuda especializada de psicólogos ou psiquiatras poderá ser importante no alívio dos sintomas e na melhoria do seu bem-estar geral. Estes técnicos não se dedicam a apoiar “malucos ou doidos”, mas sim qualquer um que a dada altura da sua vida precise de apoio especializado.
  10. Crie novos objetivos de vida. Envolver-se num novo projeto e tornar a própria experiência um veículo de propagação de experiências positivas pode facilitar a superação do trauma.

Comentários

Outros Temas