Especiarias » Alerta! Saúde

Alimentação

Publicidade

Reportagens
21/12/2014

Especiarias

Entrevistada: nutricionista Maria João Eleutério
Imagem: DR

Como usá-las? Para que são indicadas?

 

Especiaria: a partir dos séculos XIV e XV na Europa, essa palavra tomou a designação de variados produtos de origem vegetal (flor, fruto, semente, casca, caule, raiz), de aroma e/ou sabor acentuados, devido à presença de óleos essenciais.

Apesar de cada região do mundo possuir as suas especiarias características. Na Europa, partindo do movimento das Cruzadas, desenvolveu-se o consumo das variedades oriundas das regiões tropicais, oferecidas pelo universo islâmico. Para ser possível acompanhar essa procura, ampliou-se o comércio entre o Ocidente e o Oriente, através de várias rotas terrestres e marítimas.

Em termos nutricionais, como disse a nutricionista Maria João Eleutério, para além do agradável saber que as especiarias têm, “são de muito baixo valor calórico, são relativamente baratas e são uma excelente forma de introduzir antioxidantes e elementos anti-inflamatórios na alimentação, importantes para o organismo”. As especiarias podem substituir o sal na alimentação. Apesar de não ser possível com uso das especiarias obter um sabor salgado igual ao do sal, são uma alternativa segura, saborosa e saudável.

Pimenta preta: contém antioxidantes e é usada em todos os pratos salgados, na preparação de legumes e verduras. Polvilhada sobre carnes, peixes e frangos antes de grelhar.

Pimenta branca: Com sabor mais suave que a pimenta preta, é igualmente usada em todas as receitas salgadas.

Pimenta da Jamaica: é ideal para carnes brancas, maioneses e molhos brancos, por ser mais suave.

Manjericão: é uma erva finade aroma marcante, que combina com o tomate, beringela, abobrinha, frango e vitela. Como o calor diminui o seu aroma, deve ser adicionado no final da receita.
Nutricionalmente conhecido por ser digestivo, sedativo e tónico.

Orégãos: O companheiro perfeito do tomate, do pimentão, da beringela, da abobrinha e das massas. Também combina com as carnes brancas, como a vitela e o peito de frango.
Digestivo, antioxidante, antibacteriano.

Pimentão-doce: é apreciado como condimento pelo seu sabor adocicado e picante. Utilizado nos guisados e em molhos para o peixe ou carne, em pratos de ovos e em sopas cremosas.

Louro: combina com as sopas, peixe em geral, carnes e frango. Geralmente uma folha basta para aromatizar o prato.
Antioxidante, digestivo e estimula o apetite.

Tomilho: Combina com as sopas, molhos de tomate, legumes em geral, carnes vermelhas.
Digestivo, desinfectante, anti-séptico; é expectorante, limpa as vias respiratórias e o intestino.

Chalota: com sabor semelhante ao da cebola, mas mais refinado e menos pungente.

Gengibre: Antioxidante; ajuda a tratar enjoos, a combater infecções e a prevenir doenças cardiovasculares. Auxilia também a perda de peso.
Utilizado nos picles, molhos, doces, bolos, pães, saladas e carnes de porco.

Noz-moscada: É uma especiaria versátil com um sabor pungente a noz. É tradicionalmente usada para polvilhar pudins de leite, como o pudim de arroz ou a coalhada, mas também é um condimento perfeito para puré de batata, batatas no forno (simples ou gratinadas com queijo), pratos com abóbora, espinafres e massa, e é maravilhosa combinada com queijo (em tortas ou quiches, por exemplo) e em todos os purés de legumes de raízes. Deve ralar-se a noz-moscada na altura de usar, pois os seus óleos essenciais e o seu sabor perdem-se rapidamente.

Salsa: além de decorativa acrescenta cor e sabor aos pratos. Utilizada no arroz de peixe e marisco, nas omeletes, saladas, molhos, purés de batata, patês, sopas e guisados. Para além do excelente tempero que a salsa proporciona, também é uma erva benéfica para a saúde pois é rica em vitaminas e minerais.

Açafrão mostarda: Antioxidante, antiinflamatório, e auxilia no tratamento da prisão de ventre.
Utilizado no arroz, sopas, saladas, carnes, pães.

Alecrim: É certamente uma das ervas mais perfumadas, o seu aroma associa-se com a carne de porco, frango, vitela e fígado. Quando usado fresco, pode servir de decoração.

Cravinho ou Cravo-da-Índia: dão um sabor especial aos pratos de carne e de peixe.

Canela: Digestiva e antioxidante. Utilizada em compotas, infusões, bolos, pães, biscoitos e doces.

Alho: Antioxidante e digestivo; melhora a circulação sanguínea e purifica o sangue.
Utilizado em carnes, aves, molhos em geral e refogados.

Colorau: É uma mistura de sabor picante, feita com sementes de urucum, fubá e óleo de soja. É também utilizada como corante para dar cor vermelho-alaranjada aos alimentos, principalmente arroz. Pode-se utilizar em carnes, aves, peixes, caldeiradas, sopas e molhos em geral. É também utilizada em pães, doces, queijos e manteigas.

Caril: É uma mistura de várias especiarias, em que a cor predominante é a amarela. Utiliza-se em Peixes, moluscos, molhos, aves, pratos de ovos, arroz, massas.

Baunilha: Estimulante, afrodisíaca e digestiva. Utilizada para perfumar bolos, doces, cremes, bebidas e licores.

Cominho: Diurético, auxilia no tratamento da flatulência.
Utilizado nos molhos, cremes, peixes, carnes, assados, legumes, ovos, sopas e pães.

Endro: aroma suave semelhante ao anis. É utilizado no tempero de peixes, na aromatização de frutas em calda, pães, queijos e pickles.

Hortelã: Estimulante e digestivo. Utilizado em chás, sumos, saladas, molhos para carnes e massas e em pratos da cozinha do médio oriente.

Piri-piri: Planta arbustiva, ramificada, com frutos vermelhos e alongados. Os frutos são ricos em vitaminas. Utilizado em pratos de carne.

Comentários

Outros Temas